Por que eu não uso o Bagua na consultoria de Feng ShuiPosted by on


Muita gente que entra em contato comigo para solicitar uma consultoria costuma falar algo do tipo “adoro o Feng Shui e já tentei aplicar o Bagua diversas vezes mas achei melhor procurar uma consultoria mais profissional para aplica-lo corretamente”. Mas a verdade é que eu não uso o bagua para fazer a análise de Feng Shui! E hoje eu vou explicar o por que.
Primeiramente, o Bagua é aplicado sob a planta arquitetônica do local, sempre levando em consideração a porta de entrada, que deve ficar alinhada com os setores correspondentes ao Trabalho, Espiritualidade ou Amigos.
A posição de cada canto e o assunto correspondente é sempre o mesmo, de acordo com a porta de entrada, e a partir disso você faz as intervenções de decoração e organização do espaço, conforme cada canto e tema de vida.
Mas o grande problema é que essa forma de olhar para o espaço não leva em consideração as influencias do entorno e do terreno, nem o tempo no qual o espaço foi construído e muito menos a energia pessoal dos moradores, que é extremamente importante! Eu costumo dizer que essa prática funciona mais como um estímulo no subconsciente das pessoas, pois você utiliza símbolos em cada canto para fazer ativações e alcançar coisas que deseja pra sua vida. E mesmo assim, para funcionar de verdade, você precisa reforçar esses símbolos através de mantras específicos. Ou seja, a prática que utiliza esse bagua que estamos acostumados a ver na internet e em revistas, não trata da energia propriamente dita que circula pelo espaço.
Agora quando falamos de Feng Shui Tradicional, a prática que eu escolhi e que não utiliza esse bagua, levamos em consideração primeiro a energia do entorno para averiguar como ela está chegando até a construção. Depois é feito uma medição com a bússola magnética para determinar o grau como a energia está entrando, e a partir disso é possível calcular como a energia vai se distribuir internamente. Esse cálculo é baseado na Luo Pan e a distribuição energética nunca é igual, sempre depende de vários fatores, como o espaço está organizado e como as pessoas estão influenciando esse sistema. É um verdadeiro quebra-cabeça energético! Preciso ir juntando cada peça para entender que tipo de estímulos benéficos e desafiadores a casa estimula para cada integrante, e só depois disso partir para as intervenções no espaço. Materialmente as soluções são simples, mas para chegar até elas é necessário muito tempo de análise!
É por isso que quando alguém me pergunta coisas muito genéricas do tipo: “É bom colocar espelho na entrada da casa?”, sempre respondo “depende, tem que analisar cada caso”. Eu sei que essa resposta é muito frustrante, e gostaria muito que fosse simples assim, mas não é.
Trabalhar com energia é algo tão complexo que é preciso ter muito cuidado para não acabar prejudicando a vida da outra pessoa, mesmo que a sua intenção seja boa. Inclusive quando falamos de preço da consultoria, é muito difícil passar um valor padrão. Em muitos casos as solicitações são parecidas, mas existem casos bastante complexos que demandam muito mais tempo, por isso o valor aumenta, já que eu cobro uma média de horas gastas na análise.
Só pra ter uma ideia, alguns casos aparentemente tudo parece estar fluindo bem energeticamente no local, mas a pessoa não está em um momento pessoal favorável então ela não consegue se beneficiar das energias. Ou o que pode acontecer também é haver um desalinhamento temporal energético entre a casa e a pessoa, aí acontece de ela sempre perder o “timing” das oportunidades, sentimento de desconexão, apatia emocional, entre outros. Por isso o tempo também é importante.
Resumindo, fazer o Feng Shui Tradicional é fazer um alinhamento entre tempo e espaço, com as energias do céu, pessoa e terra. Incrível né?
Compartilhe nas redes sociais!

Feng Shui TradicionalResidencial

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *